Comércio


 

Existe na cidade um pequeno centro comercial, o City Shopping. Teófilo Otoni é matriz de algumas empresas, como a Farmácia Indiana, a Papelaria Graffite,a loja Magda Magazin e o Rodoviário Ramos.

Emprego e renda são os principais alvos da iniciativa privada, representada pelo Sindcomércio de Teófilo Otoni, pelo poder público e pela sociedade local, que reconhecem o potencial da região como verdadeira fonte de riqueza, capaz de atrair grandes investidores. Este foi o tema tratado em reunião realizada no dia 11 de julho com o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Márcio Lacerda.

Durante a reunião, os representantes das entidades públicas e privadas de Teófilo Otoni decidiram marcar um fórum, a ser realizado nos dias 27 e 28 de julho, na região, onde serão montados grupos temáticos de discussão, para identificarem as principais fontes geradoras de emprego e renda. Diversos segmentos da iniciativa privada serão convocados para traçarem planos, estratégias e ações na busca em atrair investidores para a região.

As medidas tomadas são decorrentes da solicitação feita pelo Sindcomércio de Teófilo Otoni, em 2005, ao governo do Estado para que se criasse um Distrito Industrial e um Centro de Convenções na cidade e autorizada formalmente pelo governador de Minas, Aécio Neves, no dia 6 de julho no Palácio da Liberdade.

Engendrado em identificar a vocação de Teófilo Otoni, o secretário Márcio Lacerda afirmou que pretende auxiliar no desenvolvimento econômico da região e transformá-la em um pólo sustentável e de alta competitividade no mercado interno e externo. O Fórum, segundo ele, contará ainda com a participação do secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Gilman Viana Rodrigues.

Para o secretário-adjunto de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Paulo Afonso Romano, a região dispõe de território propício para o plantio da cana, como geradora de energia, floresta, como geradora, tanto de energia, quanto de celulose, carvão e demais produtos para aproveitar, ainda, da excelente topografia da região. “O uso racional do território poderá agregar valor à região”, afirma. Outros empreendimentos foram tratados durante reunião, como a piscicultura, biocombustível, fruticultura, cana, leite, eucalipto, granito e pedras preciosas.

Segundo o diretor da Fecomércio Minas, Iesser Lauar, outro propulsor para alavancar a economia local é o turismo. “Criar um ciclo e valorizar a cultura, dando ênfase às festas regionais, feiras, monumentos históricos, como o museu da cidade, as cachoeiras e o esporte radical, muito realizado na região, valorizam a região e são altamente lucrativos” garante.

Preocupada com os impactos ambientais, a presidente do Movimento Pró Rio de Todos os Santos, Alice Lorentz Godinho, participou da reunião e garantiu que a Ong assume uma postura de cuidado e fiscalização com os novos empreendimentos, mas acredita na harmonia entre a preservação e a cultura desenvolvimentista. “Temos que buscar o equilíbrio entre o desenvolvimento e o meio ambiente de maneira racional, e sempre pensando nos impactos do futuro. Gerar emprego e renda de qualidade é indispensável para o crescimento da cidade, no entanto, o que não podemos perder é o respeito ao meio ambiente e tentar amenizar ao máximo os efeitos e o nível de degradação causado pelo avanço do desenvolvimento”, acredita.


 

Volta